The Mandalorian - 2ª temporada

Na primeira temporada The Mandalorian testou terreno, experimentou e conquistou fãs. Agora, como um dos sucessos consolidados do Disney+, a série apresenta uma segunda temporada, mais ousada, variada e principalmente, mais conectada com o universo Star Wars. 

Este texto contém SPOILERS da segunda temporada de O Mandaloriano, prossiga por sua conta e risco.

 Din Djarin (Pedro Pascal), o mandaloriano do título, continua sua missão de levar a Criança (o Baby Yoda) de volta ao "seu povo". Para tal aceita missões, troca favores, encontra velhos amigos e faz alguns novos. Enquanto fogem de Moff Gideon (Giancarlo Esposito), e seus acólito do derrotado, porém ainda não eliminado Império.

Sim, a jornada é basicamente a mesma do primeiro ano. Também estão de volta os desafios episódicos que aos poucos levam a jornada maior à algum lugar. À diferença é que agora a série parece mais confiante, e se permite explorar diferentes formatos e gêneros, em conjunto com o grande western que é The Mandalorian. Assim, temos episódios que flertam com terror, suspense e até filmes de assalto. Além é claro da ópera espacial que é toda franquia e tem seu auge no clímax.


Também menos contidas são as referências ao universo que conhecemos. O que no primeiro ano eram easter-eggs, e acenos aos fãs mais fervorosos, aqui são retornos de personagens clássicos, e encarnações em carne e osso de outros apresentados apenas nas animações. Impossível não admirar as bem feitas inclusões de Bo-Katan (Katee Sackhoff) e principalmente de Ahsoka Tano (Rosario Dawson). Esta última tão bem recriada, que fez os fãs desejarem uma série própria. Desejo que a Disney já atendeu. 

Mais ousado foi o resgate de Boba Fett (Temura Morrison). Oficialmente morto em O Retorno de Jedi, primeiro mandaloriano que conhecemos, aparece mais velho, cansado de guerra, mas ainda muito habilidoso. Já a aparição de Luke (Mark Hamil), funciona com deus ex machina, retirando um pouco do mérito dos personagens que batalharam bravamente até aquele ponto. É um enorme fã-serviçe, e dá esperança, embora sem grandes promessas, de responder questionamentos deixados pela trilogia mais recente. Empolga os fãs, mas talvez não beneficie tanto a jornada quando outras aparições. 


Mas Luke traz também um surpreendente e satisfatório encerramento para o arco de Grogu (a Criança, o Bebê Yoda, que finalmente ganhou nome), encerrando a primeira grande missão do personagem título e abrindo possibilidades para novas aventuras. Embora eu duvide que a franquia abandone personagem tão carismático, e rentável, completamente, ele não é mais o centro das atenções em The Mandalorian

A terceira temporada promente focar na posse do Sabre Sombrio, e suas consequências. Além de revelar mais dos costumes, história e doutrina mandaloriana. Aprofundando a mitologia deste povo ao mesmo tempo tão presente e tão misterioso no universo de Star Wars. Mando com certeza, já está fora de sua zona de conforto, questionando seus dogmas e tradições. 


De volta à segunda temporada, a série ainda consegue a façanha de humanizar o Império. No excelente Chapter 15: The Believer (Capítulo 15: O Que Acredita), os inimigos ganham rostos além dos clones que imaginamos, mostrando que existem pessoas comuns do lado de lá da luta. É também neste episódios que notamos, para a maioria da população da galáxia, tanto faz quem está no poder. Império ou República, estão ocupados demais para o povo comum. Introduzindo profundidade e nuances que Os Ultimos Jedis começou a abordar, mas que A Ascenção Skywalker desfez. 

Também há tempo de apresentar personagens que ganharão aventuras próprias já anunciadas pela Disney. Entre elas, a já mencionada série solo de Ahsoka Tano, e uma série estrelada por Boba Fett. Fique para a cena pós créditos.


O roteiro não é infalível, no entanto. Especialmente no clímax, quando esquece personagens, deixa algumas pontas soltas, e até "enfraquece" o grande vilão, quando conveniente. Nada que comprometa demais, ou que não possa ser resolvido em aventuras futuras. 

O elenco entrega um trabalho afinado e coeso, com destaques para a presença imponente de Morrison. E o trabalho corporal de Pascal, que nos faz reconhecer Mando, mesmo sem ver seu rosto, e em trajes diferentes.Vale apontar também o grande número de personagens femininas fortes, e o bom trabalho de suas intérpretes como Gina Carano e Ming-Na Wen, que aparecem aos poucos e de repente roubam a grande batalha final para si.


Entre fã-services, referências e participações especiais surpreendentes, a segunda temporada de The Mandalorian encerra arcos, e cria novas possibilidades de aventuras para seu protagonista e todos que o cercam. Tudo isso com aventuras empolgantes, bem construídas e mais ecléticas que a temporada anterior. Observar como esta universo se expande e amadurece para além das galáxias conhecidas, não é apenas empolgante, mas divertido e promissor!

The Mandalorian (ou O Mandaloriano) é uma série original do Disney+. Tem duas temporadas com oito episódios cada, disponíveis na plataforma, e um terceiro ano confirmado.

Leia mais sobre a série

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.