Moxie: Quando as Garotas Vão à Luta

Alguns filmes tem público e objetivo claros e específicos, e se bem sucedidos podem marcar uma geração. Moxie: Quando as Garotas Vão à Luta filme de Amy Poehler para a Netflix é uma obra dessas. O que faz com relevemos com boa vontade um ou outro escorregão da produção.

A chegada de uma garota nova e questionadora na escola de Vivian (Hadley Robinson), abre os olhos da adolescente para as realidade injusta que as meninas de seu colégio encaram no dia-a-dia. Inspirada pelo passado ativista da mãe, ela cria anonimamente a revista Moxie, e acaba mobilizando toda a escola em um movimento feminista.


Moxie tem adolescentes como público alvo, especialmente as do sexo feminino. Enquanto o objetivo é expandir seus horizontes quanto aos direitos e dificuldades das mulheres. Coisas que a produção faz muito bem, embora precise ser extremamente direta e didática em muitos momentos. Falta de sutileza que talvez seja necessária nos dias de hoje, e com um público tão jovem. 


O importante é que a mensagem é passada, e com exemplos diversos. O mundo é machista, do tratamento diferenciado dado aos clubes esportivos, à vista grossa ao comportamento nocivo e perigoso de alguns rapazes. E muita gente sequer nota estes problemas.




Por outro lado, enquanto abre o leque para abordar os problemas Moxie se perde no desenvolvimento de tantas histórias, perdendo a profundidade que cada caso poderia trazer. O mais problemático deles, um caso de estupro resolvido às pressas, e sem a gravidade devida.


Já a trama da protagonista perde a força com embates fracos, como a briga sem sentido com a mãe (Amy Poehler). Ou ainda aqueles que nem sequer acontecem, como o empasse entre Viviam e a melhor amiga Claudia (Lauren Tsai), resolvido em uma cena. 



O elenco bem escolhido e carismático, consegue gerar empatia e identificação, mesmo nos arcos com menor peso. À exceção é Patrick Schwarzenegger, pouco expressivo, só não compromete a produção pelo papel de vilão vazio que ocupa. Alycia Pascual-Pena, Nico Hiraga, Sydney Park e Anjelika Washington, completam o bom elenco, que ainda conta com uma ponta de luxo de Clark Gregg.


Moxie: Quando as Garotas Vão à Luta é uma produção cheia de pontos fracos, especialmente em seu ritmo e desenvolvimento. E talvez por isso não dialogue bem com um público com uma grande bagagem cinéfila, ou já engajando nas causas apontadas ali. Entretanto, é uma apresentação clara, direta e impactante da realidade feminina para o público mais jovem. 



Moxie
, não é para todo mundo! Mas tem público alvo, e um objetivo claro, e alcança ambos. É para jovens, que terão sua visão de mundo enriquecida, e sua perspectiva formada a partir das boas discussões apresentadas ali. Tem grande potencial de marcar uma geração!


Moxie: Quando as Garotas Vão à Luta (Moxie)
2021 - EUA  - 111min
Drama

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.