História de um Casamento - Ah! E por falar nisso...

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

História de um Casamento

Talvez o título mais apropriado para esta produção seja a História de um "Fim de" Casamento. Um momento tão recheado de sentimentos exacerbados, intensos e complexos quanto o início de uma relação.

Nicole (Scarlett Johansson) e Charlie (Adam Driver) decidem se divorciar. A intenção é seguir de forma amigável e simples, mas não demora muito para advogados se envolverem no processo e levar um relacionamento já desgastado ao extremo, em uma disputa que nenhum dos dois queria se envolver, mas da qual não conseguem sair.

Não há vilões no honesto olhar de Noah Baumbach para o divórcio. Ambas as partes tem falhas e acertos que influenciaram o desenvolvimento da relação. Da mesma forma, a separação não significa necessariamente a ausência de afeto, mas a mudança na forma de amar que não funciona mais para o casal. É também o amor que complica tudo, já que a disputa é pelo bem estar e convivência com o filho.

É na capacidade de observar e compreender os dois lados da disputa que se encontra o grande acerto de História de um Casamento. Ela se sente diminuída e sem voz. Ele não percebe o que não lhe desperta interesse, e é pego de surpresa pelo desgaste. Os dois tem dificuldades de conversar sobre o relacionamento, querem o melhor para o filho Henry (Azhy Robertson). E mesmo no ápice da briga não desejam realmente o mal para o ex.

São pessoas reais, com falhas reais, e motivações facilmente compreensíveis. São as excelentes atuações de Johansson e Driver que transmitem essa verdade para seus personagens, com destaque para ele, que transita entre a apatia, raiva, medo e desespero com fluidez e intensidade contantes. Mesmo o espaço dedicado a eles pelo roteiro é bastante equilibrado, oferecendo tempo para compreendermos cada um dos lados. Ela enfrentando o desgaste do relacionamento, e sua "libertação" na primeira metade do longa. Ele, encarando o stress e o medo da perda do filho na parte final.

Se a produção não tenta compreender, e não julgar, as duas partes de um casamento desfeito. É no processo burocrático do fim que se encontram as críticas à sociedade. Estas vão desde a parte comercial do divórcio, que estendem e complicam a separação, por causa de dinheiros e egos inflados dos advogados. Até a forma como a sociedade e o processo judiciário enxerga homens e mulheres. A responsabilidade pela criança deveria ser a mesma, mas pais e mães tem pesos e cobranças diferentes na relação com as crianças. Crítica muito bem enfatizada pelo monólogo da advogada Nora Fanshaw, interpretado com maestria por Laura Dern.

Há também um momento para apontar que toda disputa de guarda, em algum momento acaba se transformando em uma competição. Os pais quer ganhar por amor aos filhos, mas sempre os prejudicam de alguma forma no processo. Sem, no entanto, transformar os pais em vilões. Apenas pessoas em um momento pouco sensato da vida.

Apostando em planos longos, e diálogos realistas, História de um Casamento é um retrato honesto e dada maniqueísta de um relacionamento na sociedade contemporânea. Onde não há partes mal intencionadas, ou vilões tentando afastar pais e filhos. Apenas pessoas comuns, com suas falhas e limitações, guiadas por sentimentos confusos. É melancólico e verdadeiro.

História de um Casamento (Marriage Story)
2019 - EUA - 137
Drama

Nenhum comentário:

Post Top Ad