Entre Facas e Segredos - Ah! E por falar nisso...

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Entre Facas e Segredos


Coronel Mostarda com a chave inglesa na biblioteca! Entendeu a referência? Então, provavelmente já jogou Detetive (ou Clue, no original). Entre Facas e Segredos é como o jogo de tabuleiro, com peças e pistas bem definidas, e uma notável capacidade de nos envolver na investigação.

O famoso escritor de histórias policiais, e patriarca de uma peculiar família, Harlan Thrombey (Christopher Plummer é encontrado morto em sua mansão. O detetive Benoit Blanc (Daniel Craig) é contratado para investigar o caso, e logo percebe que praticamente todos à sua volta tem bons motivos para querer a morte do milionário.

É impossível fugir da comparação com as tramas de Agatha Christie, a homenagem é assumida e acertada. As semelhanças estão na boa escolha e uso dos "jogadores" e pistas. Embora o segundo ato traga uma revelação que da ao filme caminho próprio, antes de ganhar uma bem construída reviravolta em seu desfecho. Infelizmente, contar mais que isso, pode estragar as boas surpresas.

Para sustentar uma trama rica em detalhes, com muitos personagens e consequentemente pouco tempo de tela para alguns deles, a produção aposta em um elenco talentoso, conhecido e claramente se divertindo no trabalho. Nomes como Jaime Lee Curtis, Tony Collete, Chris Evans e Michael Shannon facilitam tanto a empatia, quanto o reconhecimento do lugar de cada um no tabuleiro.

Ana de Armas surpreende ao segurar bem a tarefa de fio condutor e conexão com o espectador em meio a um elenco de estrelas, criando uma personagem ingênua e carismática. O outro destaque fica com Craig e seu detetive propositalmente caricato à lá Hercule Poirot, nos fazendo até assumir seu sotaque exagerado como parte da graça.

E por falar em humor, há espaço para boas gargalhadas no roteiro, que equilibra bem tensão, mistério e as piadas criadas pelas situações personalidades absurdas. Igualmente bem distribuídas, são as pistas ao longo do desenrolar da trama, e até no cenário.

A mansão Harlan, merece uma atenção especial. Montada como um tabuleiro de jogo, traz vestígios, indicações e até metáforas em seus cômodos, decoração e cantos escuros. Roteirista e diretor, Rian Jonhson sabe usar estes elementos para construir sua histórias, com ângulos bem pensados.


O argumento de Entre Facas e Segredos, é bastante tradicional: o patriarca está morto, todos são suspeitos. Mas, seu desenrolar busca caminhos próprios ao mesmo tempo que parodia e homenageia, os clichês do gênero. Tudo isso de forma inteligente, dinâmica e bem construída para levar o espectador a investigar ao lado de Poirot Benoit Blanc, e se divertir bastante durante o jogo.

Entre Facas e Segredos (Knives Out)
2019 - EUA - 131min
Policial, Drama, Comédia

Nenhum comentário:

Post Top Ad