Yesterday - Ah! E por falar nisso...

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Yesterday

Você teria um instante para ouvir a palavra dos Beatles? - Espalhar as palavras, ou melhor as músicas, do quarteto de Liverpool. De certa forma, esta é a missão do protagonista de Yesterday. Novo filme de Danny Boyle, que percorre o repertório da banda de forma doce e criativa.

Jack Malik (Himesh Patel) é um cantor e compositor que nunca conseguiu fazer sua carreira deslanchar. Após evento misterioso em escala global, e um acidente pessoal relacionado a ele, Jack acorda em um mundo onde The Beatles nunca existiu. Único a lembrar as canções de uma das maiores bandas de todos os tempos, o jovem começa a fazer sucesso. Mas, é claro, a fama tem seu preço.

Aproveitar-se de canções que não são realmente suas, se ajustar a imagem que a indústria musical acha mais atraente, ter a auto-estima abalada por não fazer sucesso com o próprio trabalho e o tradicional distanciamento de amigos e família estão entre os dilemas enfrentados pelo protagonista. Problemas bastante comuns em produções sobre a busca pelo sucesso, mas que aqui se diferenciam pela premissa inusitada e a direção experiente de Boyle (Quem Quer Ser Um Milionário?).

A produção brinca com as referências à banda, com marcos da cultura pop e outras coisas que mudaram neste universo alternativo, enquanto desenrola a trama de Jack. Dilemas morais que poderiam levar o personagem para caminhos mais sombrios, mas o roteiro prefere seguir um caminho mais leve e divertido.

É errado ganhar dinheiro com músicas de outras pessoas, mesmo quando estas pessoas tecnicamente nunca as compuseram? É este o questionamento mais complexo da produção, que é amenizado pela crença de que o mundo precisa destas canções, e Jack é o único capaz de apresentá-las. Abrindo espaço para os romance, e o empasse com a indústria.

É aqui que entram Lily James e Kate McKinnon. A primeira encarna com muito carisma e fofura a melhor amiga/fã número 1/interesse amoroso Ellie. Enquanto Mckinnon dá vida à empresária que leva o protagonista ao estrelato. Com uma atuação um pouco mais exagerada, ela destoa um pouco criando uma personagem mais próxima dos vilões caricatos da sessão da tarde, que do tom mais doce que permeia o longa. O que não chega a comprometer, já que o carisma da comediante contorna o exagero. Outros que se destacam são o amigo esquisito/alívio cômico Rocky (Joel Fry), e a divertida participação de Ed Sheeran, como ele mesmo.

O destaque maior, é claro, fica com Patel. Além de tocar e cantar todas as canções, o ator consegue manter a integridade de Jack, mesmo quando este faz escolhas duvidosas. Tornando crível as boas intenções do protagonista, mesmo quando faz coisas erradas de forma consciente. Nunca abraçar a identidade de astro do rock, ou se encaixar completamente nos padrões da indústria, também faz parte da identificação. Jack é um "cara comum" mesmo quando é aclamado como maior compositor da face da terra.

Há ainda espaço para brincar com falta do contexto em que as canções foram criadas. Momentos históricos que protagonista é incapaz de recriar, e precisa contornar antes de lançar as músicas. Já a dificuldade de lembrar dezenas de letras e melodias, e a descoberta outros elementos que sumiram, proporcionam desculpas perfeitas para Boyle brincar com a montagem e o ritmo da produção.

Um filme simples e bem produzido, nascido de uma premissa mirabolante, que não tem vergonha de ser fofo e divertido. Yesterday é a desculpa perfeita para relembrar a trajetória dos Beatles sem recorrer a uma biografia. Cheio de referências e momentos nostálgicos para os fãs da banda, sem excluir os não aficionados. E se você é um destes não iniciados, a desculpa perfeita para conhecer a palavra de John Paul, George e Ringo.

Yesterday
Reino Unido - 2019 - 114min
Musical, Comédia romântica 

Nenhum comentário:

Post Top Ad