sexta-feira, 22 de junho de 2018

Não vou correr para acompanhar o ritmo da Netflix, e você?

Eu não sei vocês, mas comecei a achar muito difícil acompanhar o ritmo da provedora de conteúdo. Então é hora de pensar nosso consumo novamente. Mas antes, um pouco de contextualização. 

O serviço de streaming começo tímido, com poucas - e excelentes - séries próprias. As maratonas nos faziam consumir tudo muito rápido, transformando a espera pela nova temporada em uma eternidade.  A qualidade e a alta demanda, fizeram a Netflix aumentar a quantidade de conteúdo.

E então vieram os serviços de streaming dos estúdios, que tendem a tirar seus produtos da concorrência para beneficiar seus serviços exclusivos.  E a necessidade da Netflix construir um catálogo próprio mais robusto ficou ainda mais urgente. O que interfere diretamente na qualidade dos produtos, e na forma como os consumimos - novamente. 

Vem ver outra reflexão sobre a vida moderna, quando analisamos se existe um lado ruim na Netflix

Eu sei o que você deve estar pensando: não somos obrigados a assistir tudo do catálogo! - Mas admita, bem que tentamos. Isso porque estamos em um mudo mega conectado, e sempre tem aquele colega, site ou canal,  que está assistindo e indicando as séries que você deixou para depois. A curiosidade bate e ninguém quer ficar com a sensação de estar de fora. Se você trabalha com isso - escrevendo sobre produtos audiovisuais por exemplo - ou mesmo é um aficionado que navega por diferentes gêneros e estilos a coisa complica ainda mais.

Mas esta não é a parte complicada. Na verdade é excelente, sempre ter uma série ou filme novo para descobrir. A parte complexa é acompanhar o ritmo, para evitar os spoilers e conversar com os colegas. Se antes todos assistiam os programas mais ou menos no mesmo ritmo, conforme era exibido na TV, agora a maratona de seu amigo pode estar à meses de distância da sua. 

O resultado, ou você está sempre com a sensação de ter coisas atrasadas, ou corre desesperadamente para maratonar tudo assim que é liberado. Na segunda opção, a pressa nos faz deixar de lado, parte importante ao consumir qualquer obra, a apreciação. Temos que assistir tudo em "uma sentada", e mal dá tempo de pensarmos no que estamos assistindo. Tem também o sentimento de obrigação - Luke Cage saiu hoje, tenho que ver agora. Ou de culpa - ainda não arrumei tempo de ver Perdidos no Espaço! - Ambos comportamentos que tiram parte do prazer em acompanhar estas histórias.

Outra consequência do aumento de volume dos produtos da Netflix, é a queda na qualidade. Se as primeiras séries eram excelentes, e filmes dignos de concorrer ao Oscar, agora a maioria é só "ok". Mas esta discussão eu vou deixar para outra oportunidade. 

Por hora, vou apenas afirmar algo em que venho pensando há alguns meses, em prol do bom consumo, vou desacelerar. Chega de correr para acompanhar o ritmo dos lançamentos. Isso vai atrasar algumas resenhas, mas com certeza vai melhorar as análises, e de quebra a parte boa de tudo isso, o entretenimento. 

Agora pergunto, você também teve esta sensação? Consegue acompanhar tudo que deseja? Como anda sua relação com a Netflix e serviços similares?

Compartilhe este post
  • 0Blogger Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment
comments powered by Disqus
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top