segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Informações úteis para sua maratona de Alias Grace

O mundo está redescobrindo Margaret Atwood, afinal suas obras povoadas por mulheres fortes encaixam como uma luva com o cenário atual. Entretanto, apesar das semelhanças temáticas e do fato de The Handmaid’s Tale inevitavelmente vir a mente assim que pensamos em Alias Grace, é bom avisar são trabalhos muitos distintos.

Grace Marks (Sarah Gadon) era uma adolescente em 1843 quando foi condenada à prisão perpétua por assassinato. Quinze anos depois o Dr. Jordan (Edward Holcroft), especializado em problemas da mente vem estudar seu caso, já que a moça alega não ter memórias do crime que a pôs na prisão, fazendo com que sua participação seja uma incógnita.

Informações úteis para sua maratona de Alias Grace


1 - Alias Grace é mais uma feita pela Netflix em parceria com a emissora canadense CBC, a mesma de Anne with an "E". O serviço de streaming é responsável pela distribuição mundial.

2 - Baseado no livro de Margaret Atwood, que por sua vez é inspirado em um caso real. Grace Marks realmente existiu, assim como o caso de assassinato e as dúvidas quanto ao seu envolvimento. Entretanto, as situações e a maioria dos personagens retratados no livro e na série são ficcionais.

3 - A roteirista Sarah Polley tentou adquirir os direitos de adaptação da obra em 1996, ano de seu lançamento. Levou mais de vinte anos para conseguir entregar a obra pronta.

4 - É provável que você fique confuso quanto a idade de Grace ao chegar no Canadá, e principalmente durante o primeiro trabalho que consegue. Isso acontece porque a produção optou por manter Sarah Gadon em todas as fases da vida da protagonista. Apesar de a escolha ser acertada - Gadon consegue conferir realismo a todas as idades de Grace - e da maquiagem ser eficiente, a dúvida ainda persiste, mas não dura muito. O bom trabalho de sua intérprete consegue conferir a inocência necessária à personagem, nos fazendo relevar a este detalhe.

Nos últimos episódios da série, descobrimos que na época do crime Grace tinha 16 anos, assim como a versão da vida real. Esta última teria chegado ao Canadá aos 12 anos.
Grace com 12 anos? 
5 - Assim como na série, a verdadeira Grace cumpriu parte da pena em um manicômio e posteriormente foi perdoada e libertada por bom comportamento. As datas em que essas mudanças aconteceram, no entanto, não são necessariamente as mesmas na TV e na vida real.

6 - Zachary Levi interpreta Jeremiah na série. Seu primeiro trabalho de destaque foi como protagonista da série Chuck, nerd que tem um supercomputador instalado acidentalmente em seu cérebro e por isso passa a ser monitorado pela a Agente Sarah Walker (Yvonne Strahovski). Strahovski faz parte do elenco The Handmaid’s Tale, série baseada em outro livro de Atwood, também lançada por uma plataforma de streaming em 2017.

7 - O cineasta David Cronenberg, participa da série como o reverendo Verringer.

8 - Caso não tenha ficado claro, o suposto "parceiro" no crime de Grace, James McDermott, foi condenado e enforcado após o julgamento.

9 - Todos os homens retratados na série são culpados de uma forma ou outra, ou no mínimo cometem atos altamente condenáveis. Mesmo aqueles tidos como "homens de bem" como o Dr. Jordan, ou o jovem Jamie Walsh.

10 - E por falar no D. Jordan, se ele lhe parecer familiar, o outro trabalho de maior destaque de seu intérprete Edward Holcroft é o almofadinha irritante Charlie, presente nos dois filmes da franquia Kingsman.
11 - A obsessão do Dr. Jordan por seu objeto de estudo é retratado não apenas pela aparência do personagem que decai ao longo dos episódios, mas também pela proximidade física de suas sessões. No início separados por uma sala inteira e uma mesa, na última conversa os personagens falam sentados tão próximos frente-a-frente que seus joelhos se tocam.

12 - A única personagem realmente não faz julgamentos sobre Grace é uma empregada negra, que afirma que não vai condenar alguém por se levantar contra seu senhor. Adicionando ainda mais camadas no complexo caso.

13 - As colchas de retalhos que Grace borda constantemente e cita em alguns momentos, são uma analogia a forma complexa com que sua história é contada.

14 - Você vai achar que Grace é inocente, depois culpada, inocente novamente, e em alguns momentos até que suas motivações talvez justifiquem o ato. Depois de ter uma opinião oscilante pela temporada inteira, não vai chegar a nenhum resultado definitivo. E isso é ótimo! A dúvida, e a discussão sobre a sociedade em questão são muito mais interessantes - e importantes - que o veredito.

15 - O julgamento de Grace nos livros e na vida real teriam acontecido em 3 e 4 de Novembro de 1843. A série foi liberada na Netflix em 3 de Novembro de 2017.

156 - A série foi apresentada como "limited series", o que significa que não devem haver novas temporadas, mesmo porque a história não deixa margens para continuações.
_________________

Alias Grace tem seis episódios com cerca de uma hora de duração cada. Todos estão disponíveis na Netflix. Leia a crítica da série!
Compartilhe este post
  • 0Blogger Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment
comments powered by Disqus
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top