Luca

Histórias complexas, cheias de camadas, embaladas em um mundo vivo colorido e atraente até para o público que ainda não tem idade para compreender toda a complexidade destes pequenos universos da animação. É isso que nos acostumamos a pensar quando ouvimos no nome Pixar, mas o estúdio também sabe ser leve e descompromissado quando deseja. Este é o caso de Luca!

Luca (voz de Jacob Trembley no original e Rodrigo Cagiano na versão dublada) é um mostro marinho que nunca ousou sair do mar, até conhecer Alberto (Jack Dylan Grazer / Pedro Miranda) outro mostro marinho que vive isolado em uma ilha na superfície. Em busca de aventura e liberdade a dupla decide arriscar viver entre os perigosos humanos no vilarejo de Portorosso, e conseguir a todo custo uma vespa. Para tal percebem que precisam ganhar o prêmio de uma competição local, e formam uma inusitada equipe com a humana Giulia (Emma Berman / Bia Singer).

Os desafios são muitos para a dupla. O  maior deles, não serem descobertos, já que os humanos temem e caçam sua espécie. Esta situação já garante vários momentos divertidos envolvendo água e a necessidade de estar seco.  Mas toda a adaptação da dupla à vida terrena é bem divertida. Desde a falta de conhecimento sobre os costumes humanos, passando pelos embates com o vilão Ercole (Saverio Raimondo / Caio Guarnieri),  até o treinamento para a competição. Garantindo à Luca leveza e bom humor por toda a projeção.

Não que a produção, não tenha suas discussões. Os temas aqui são amadurecimento, amizade, deixar a zona de conforto, se superar e conhecer o mundo. Todos pincelados aqui e ali, mas sem o grande apelo emocional que a Pixar costuma embutir em suas produções. Não chegam a ser discussões rasas, ou irrelevantes para o arco dos personagens, o roteiro apenas não quer te fazer chorar por elas. Afinal este é um "feel good movie" de verão, um filme para te fazer bem. E quem pode dizer que não precisamos desesperadamente de produções como esta no momento atual? 

Assim, acompanhamos a amizade entre Luca e Alberto, nascer, florecer e ganhar seus espinhos, mas em momento algum tememos que eles se percam completamente. Descobrimos o sentimento de abandono de Alberto, mas logo enxergamos o caminho para superá-lo. Tudo apresentado de forma simples e doce, na bela paisagem da Riviera Italiana. 

E por falar em paisagens, as de Luca não decepcionam. Desde o exuberante e misterioso fundo do mar, até aconchegante vila de Portorosso, tudo criado com a riqueza de detalhes típica do estúdio. Riqueza essa que passa para a construção dos personagens. Impossível não se encantar com as diferentes versões e as transformações dos monstrinhos marinhos. Ou ainda com a construção de personagens como Lorenzo (Jim Gaffigan / Fábio Azevedo), uma figura de aparência assustadora, mas extremamente complexa, mesmo sendo apenas um coadjuvante. 

Lançado diretamente no Disney+, Luca é uma aventura simples, leve e divertida, que pretende entreter os pequenos, e levar os mais velhos de volta à infância. De fato, o longa tem muitas inspirações na infância do diretor Enrico Casarosa. Não entra para a lista de produções do estúdio que fazem adultos chorarem como crianças, mas comove de outra forma. Encanta, diverte, oferece quase duas horas de uma viagem cheia de bons sentimentos. É aquele filme que aquece o coração, e te faz sair da sessão mais leve e feliz. 

Luca
EUA - 2021 - 101min
Animação, Aventura, Comédia

Leia mais sobre produções do Disney+ e da Pixar!

Postar um comentário

0 Comentários