A cultura pop e as coisas que são maiores por dentro! - Ah! E por falar nisso...

quarta-feira, 10 de junho de 2020

A cultura pop e as coisas que são maiores por dentro!

Com sete bilhões de pessoas no planeta, espaço é um bem precioso. Logo, não é surpresa que a ficção imagine objetos com mais espaço interno que externo. Explicados por tecnologia super avançada, magia, ou mesmo sem fazer sentido algum, não falta variedade nesses exemplares na cultura pop.

TARDIS
(Doctor Who - 1963)
Impossível não começar por ela, né! Pensou em algo maior por dentro pensou na nave do Doutor. It's bigger on the inside?! (É maior por dentro!?, em português), é a exclamação de 99% dos seres que pegam carona no veículo que tem suas características espaciais até no nome. Time and Relative Dimensions in Space (Tempo e Dimensão Relativas no Espaço), que forma o acrônimo TARDIS, explica tudo. Para ela, tempo e espaço são relativos.

Construída pelos Senhores do Tempo de Galifrey, tem guarda-roupa, biblioteca, piscina, quartos,... dá até para se perder lá dentro. Embora na maior parte do tempo, o que vemos é a ponte de comando mesmo. Pode assumir qualquer forma para se misturar à paisagem, mas está travada como uma cabine telefônica de polícia azul dos anos de 1960, desde que seu sistema de camuflagem quebrou. Apesar disso, volta e meia ganha uma repaginada, tanto na decoração interna, quanto na caixa azul.


Bolsa de Tapete
(Mary Poppins - 1939)
É o objeto mais antigo desta lista, criado em 1939 por P. L. Travers, como mala de viagem de sua babá mágica. É feita de tapete, muito resistente. Além de roupas, tem espaço para peças de decoração e mobília, como plantas espelhos e cabides.

Para olhos inocentes, curiosos de desavisados, pode parecer vazia, mas não se deixe enganar. É bem funda, às vezes Mary precisa se inclinar dentro dela para alcançar o que precisa. Talvez por isso não de para ver dentro. Apareceu pela primeira vez no livro de estreia de Mary Poppins, mas foi imortalizada no imaginário popular mundial pela adaptação de Walt Disney para o cinema, lançada em 1964.


Feitiço Indetectável de Extensão
(The Wizarding World - 1997)
Eu sei, um feitiço não é um objeto, mas já que vemos vários objetos alterados por ele achei melhor reunir todas as criações do Mundo Bruxo em um único item. Vale mencionar, existem leis rígidas para o uso desse feitiço. Não que isso impeça os personagens.

O primeiro a dar as caras na saga do bruxinho, é o Ford Anglia do Sr. Weasley, que magicamente comportava toda da família, além de voar e ficar invisível. Ao longo dos sete livros e oito filmes de Harry Potter, ainda vemos, a barraca de acampamento e a bolsa de contas de Hermione. Já em Animais Fantásticos, podemos ver o feitiço ser utilizado da mala de Newt Scamander, e mais tarde em sua casa. Ambos abrigam um verdadeiro zoológico mágico.


Hora dos objetos que são maiores por dentro sem que haja explicação, ou mesmo lógica para isso...


Spicebuss
(Spice World - O Mundo das Spice Girls - 1997)
O ônibus de turnê das Spice Girls, por fora um típico ônibus londrino de dois andares com pintura que imita a bandeira da Inglaterra. Por dentro, espaço particular para cada Spice, cinco banheiros, e até um escritório para o agente delas.

Se você era criança nos anos noventa, com certeza passou horas tentando entender as dimensões internas do veículo. Tinha espaço até para um balanço, uma passarela e uma bicicleta ergométrica. Melhor busão já inventado!


A Casa dos Tanner
Uma daquelas casas estreitinhas, características de São Francisco. Mas por dentro, uma verdadeira mansão, muito mais larga que aparenta. Quatro quartos espaçosos, duas escadas para o segundo andar, vários banheiros (depois de duas séries distintas já perdi a conta), porão e sótão habitáveis, jardim, e até um segundo sótão que só apareceu em Fuller House.

A casa é propositalmente maior, afinal abriga a maior parte das aventuras desta família gigantesca. Não faz sentido nas leis da física, não tem ciência ou magia envolvida, mas atende bem às necessidades da série.

Agora vamos a uma subcategoria, de objetos que imaginamos serem maiores por dentro para poder abrigar melhor seus residentes...


Pokebola
(Pokémon - 1996)
Criada para facilitar a vida dos treinadores pokemon, é uma esfera leve e pequena que permite que os monstros sejam carregados no bolso. Na realidade, não sabemos muito sobre o interior dela,  egoístas que somos, só temos informações do quão cada modelo facilita a captura dos pokemon.

É pela falta de informação que temos a liberdade de imaginar que elas são maiores por dentro. Assim os pokemon tem espaço suficiente para viver bem ali, e não estarão sofrendo maus tratos. Apesar de serem obrigados a duelar em rinhas já serem uma forma de maus tratos.... err... melhor ir para o próximo.

Barril do Chaves
(Chaves - 1973)
Que atire a primeira pedra quem nunca imaginou que tem uma escada para um verdadeiro lar subterrâneo para o Chaves naquele simples barril de madeira.

O representante latino desta lista passa tanto tempo escondido ali, que logo procuramos um motivo para sua preferência. Além disso, imaginar um verdadeiro lar, com brinquedos, comida e conforto é o que muita gente deseja para o órfão criado por Roberto Bolaños.

Quase inclui a lâmpada do Gênio do Aladdin nesta lista. Mas, já que não tenho certeza se o objeto é maior por dentro, ou se é seu residente que encolhe, e ele ainda reclama de falta de espaço, resolvi parar por aqui.

Não pude deixar de notar mais da metade da nossa lista é britânica. O que será que os conterrâneos da rainha tem para gostar tanto de coisas maiores por dentro?

E aí? Faltou algum objeto estranhamente maior por dentro? Vem acrescentar seu favorito!

Veja mais listas!

Nenhum comentário:

Post Top Ad