Mais árvores interessantes da cultura pop - Ah! E por falar nisso...

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Mais árvores interessantes da cultura pop

No último Dia da Árvore, listei as espécimes mais interessantes da cultura pop. Mas muita coisa ficou de fora, e como amanhã (21 de Setembro) vamos celebrar esta data arbórea novamente, nada mais adequado que completar aquela seleção. A primeira lista focava em árvores personagens, mais ativas nas histórias a que pertencem. Esta parte dois vai trazer os exemplares que tem valor mais simbólico, mas ainda sim muito relevantes.

A Árvore Branca de Gondor
Na verdade "as árvores brancas" de Gondor, já que várias mudas foram plantadas nas cidades deste povo ao longo da história da Terra Média. Todas queimadas ou destruídas por guerras, mas sempre tendo uma muda salva para a próxima geração. Exercendo o papel perfeito de símbolo do monarca de Gondor, ao cair e renascer junto com cada novo regente. A planta que vemos nos livros e nos filmes de O Senhor dos Anéis é a terceira, plantada pelo rei Torondor, em Minas Tirith. Com a morte de Eärnur, o último rei de Gondor, a árvore também perdeu vida, mas foi deixada no pátio na esperança que O Retorno do Rei, a revivesse. Após a derrota de Sauron, Aragorn encontra uma nova muda com a ajuda de Gandalf e substitui a Árvore Branca. Enquanto a terceira árvore fora velada no túmulo dos Reis de Gondor.

A imagem mais reconhecível da Árvore Branca de Gondor, no entanto, não é a planta em si, mas o ícone criado para ela no brasão do reino (esse aí no peito do Aragorn). Uma árvore branca florida com sete estrelas e uma coroa alada. As flores representam a paz e prosperidade no reino dos homens. As estrelas fazem alusão aos sete barcos dos Numenor que traziam as Palantír (aquela pedra vidente em que Pippin olha). A coroa representa o elmo Isildur, usado por muito tempo como coroa, tornando-se símbolo dos reis de Gondor.

Árvore da Vida, Árvore-Lar, Árvore das Almas...
... aparentemente, tudo é Arvore no Avatar de James Cameron. De fato, em Pandora existe uma rede neural bio-botânica. O que significa que todas as árvores e plantas estão conectadas, e os animais e os Na'vi (aquele povo azul), também podem se conectar à essa rede, e até se tornar parte dela após a morte. Metáfora maior para o ciclo sem fim, e a importância de cuidar de todos os seres vivos, não há!

Árvores Coração
São represeiros, árvores de madeira branca, seiva e folhas vermelhas, que tiveram rostos esculpidos em seu tronco, acredita-se, pelos filhos da floresta seus primeiros adoradores. Geralmente situada no centro de um bosque sagrado, são adoradas por aqueles que acreditam nos Deuses Antigos em Westeros, a maioria nortenhos. Mais tarde descobrimos seus olhos esculpidos são usados pelo Corvo de Três Olhos, para observar o mundo através dos tempos. Então sim, existe alguém ouvindo as preces feitas sob uma árvore coração. Como isso vai interferir nas Crônicas de Gelo e Fogo, só descobriremos quando G.R.R.Martin terminar a saga, já que a série, Game of Thrones decidiu não caprichar muito neste tema.

Árvore do Conhecimento
É uma das paradas de Xuxa em sua jornada para resgatar o cãozinho Xuxo, das garras do vilão Baixo Astral. É vigiada pela tartaruga Vó Cascuda, abriga alguns pássaros humanoides e seus frutos são livros. Depois de adquirir conhecimento de seus frutos, a Rainha dos Baixinhos começa escalar, supostamente para alcançar uma montanha muito alta, mas cai, ganha asas e voa até o Alto Astral (sim, é um lugar). Se você nunca assistiu esta pérola do cinema infantil nacional, o nome é Super Xuxa contra o Baixo Astral. Olha aí a protagonista fazendo o número musical obrigatório no cenário.


Árvore da Proteção de Nárnia
Existem muitas árvores em As Crônicas de Nárnia, árvores da Juventude, de Ouro e até uma que brotou de um doce de caramelo. Existem também as Dríades espíritos associados às árvores que ajudam bastante na jornada dos Pevensie. No entanto, acredito que a Árvore da Proteção seja a mais relevante da nossa lista. Nascida de uma maçã da Árvore da Juventude, e cultivada para afastar Jadis, a Rainha Branca, dava maças prateadas.


Em O Sobrinho do Mago, uma destas maçãs fora oferecida à Digory, primeira criança a se aventurar e mais tarde o professor que acolheu os Irmãos Pevensie. O menino usaria os poderes mágicos da fruta para curar sua mãe de uma doença. Depois ele plantou as sementes em seu quintal, dela brotou a macieira que produzia os mais belos frutos de longe, e dizem, eventualmente se mexia. Anos mais tarde a árvore fora derrubada por uma tempestade. E Digory fez um belo Guarda-Roupas à partir de sua madeira. O mesmo móvel que mais tarde se tornou uma passagem para Nárnia em O Leão a Feiticeira e o Guarda-Roupas.

Árvore de Natal do Charlie Brown
É o pinheirinho mais frágil que você já viu, magricela, com poucas folhas e tombado com o peso de uma única bolinha de natal. A árvore no entanto é um poderoso símbolo, sobre o Natal ser mais que aparência e consumismo. É algo simples, verdadeiro (no desenho uma árvore artificial é o desejo da turma), que deve ser cultivado. É isto que Charlie Brown tenta compreender, e explicar para os amigos em O Natal de Charlie Brown, especial natalino de 1965.

Fico por aqui nesta segunda lista de árvores interessantes da cultura pop. Será que esqueci alguma? O Jequitibá Rei de Renascer deveria entrar aqui? Ou talvez a árvore endemoniada de Poltergeist? Deixe suas sugestões, quem sabe eu não volte com uma parte três desta lista no próximo dia da árvore.

O Dia da Árvore é celebrado em 21 de Setembro no Brasil para aproveitar a chegada da primavera, e promover a importância da preservação das árvores e das florestas. E se achar que a celebração é pouca para sustentar o tema deste post, vale mencionar que manifestantes de todo o mundo estão protestando pelo clima hoje (sexta-feira, 20 de Setembro). Geralmente sábios e cheios de simbologia, as àrvores da cultura pop sempre chamam nossa atenção para a importância de cuidar melhor do nosso planetinha. Desempenhando bem seu papel nesta luta.

Nenhum comentário:

Post Top Ad