quarta-feira, 9 de maio de 2018

A Noite do Jogo

Interesses em comum unem em pessoas. A competição foi o que uniu Max (Jason Baterman) e Annie (Rachel McAdams). Animadas noites de jogos com amigos fazem parte de sua rotina de casal do suburbio. Já entre Max e seu irmão Brooks (Kyle Chandler) a competição tem efeito oposto, a dupla se odeia, e cada um vive tentando provar que é melhor que o outro.

Quando o Brooks propõe um novo tipo de jogo, uma encenação de mistério com sequestro, as coisas saem de controle. Criminosos de verdade entram em cena e o grupo mergulha em uma competição cada vez mais louca e imprevisível.

Jonathan Goldstein e John Frances Daley em sua segunda parceria de direção (o primeiro foi Férias Frustradas, a dupla também tem vários trabalhos juntos como roteiristas) embarcam em outra comédia de absurdos, desta vez para adultos, que surpreende pelo roteiro ágil e inteligente bem aproveitado prla direção. O longa combina uma loucura crescente com cenas de ação e referências pop, tudo bem distribuído com timminge eficiente e produção caprichada.

É esse esmero na filmagem e montagem que chama mais atenção, uma vez que se trata de uma comédia. Gênero altamente substimado em valor cinematográfico, e que talvez por isso constantemente se acomode em entregar "mais do mesmo". Sequencias com planos bem pensados, e perseguições complexas em bem elaboradas conseguem manter o espectador alerta. Seja pelo risco em que os personagens se encontram, seja pela próxima risada. E as piadas não param, mesmo nos momentos mais tensos, trazendo para a comédia uma característica dos filmes de ação, o ritmo fenético que não dá folga ao expectador. Aqui a produção alcança um equilíbrio delicado. Conseguido manter o bom humor e piadas, sem perder o peso dos acontecimentos "mais sérios", tudo dentro do tom a que se propôs desde o início. 

O foco é no casal vivido por Baterman e McAdams, mesmo assim o roteiro arranja tempo para trabalhar um pouco cada um dos colegas de jogo e criam empatia com eles. O ex-marido que não supera a separação, o amigo namorador, os namoradinhos de infância, todo mundo tem alguma coisa a aprender ao longo da jornada.

O elenco acompanha o nível de dedicação da produção, entregando atuações eficientes e carismáticas. É interessante ver McAdamas se permitindo fazer algo tão divertido e inprevisível. A moça tem a chance de fazer de um tudo um pouco, e o faz muito bem. Outro que se destaca é Plemons e seu robótico vizinho estranho. fique atento ainda a uma ponta de luxo de Michael C. Hall.

Divertidamente absurdo A Noite de Jogo alcança seu objetivo, ser uma boa comédia e ação para adultos. E ainda faz mais,  nos relembra que uma comédia besteirol pode se surpreender, se roteiro e produção estiverem dispostos a fugir do comodismo e tentar algo novo, bem pensado e executado. Tomara que outras produções se identifiquem e entrem no jogo da oroginalidade. 

A Noite do Jogo (Game Night)
2018 - EUA - 98min
Ação/Comédia
Compartilhe este post
  • 0Blogger Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment
comments powered by Disqus
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top