terça-feira, 15 de maio de 2018

Deadpool 2

A missão foi cumprida no primeiro filme do Deadpool, reapresentar apropriadamente o personagem nos cinemas, apagando a versão problemática que apareceram em X-Men Origens: Wolverine. Como bônus o anti-herói ainda provou que existe público para filmes de super-heróis com censura alta, abrindo caminho para produções como Logan. O desafio agora é outro, manter o sucesso, sem o fator surpresa, o frescor da novidade, ou soar repetitivo.

Deadpool (Ryan Reynolds) está precisando encontrar maneiras novas de fazer as coisas, quando o super soldado Cable (Josh Brolin) vem do futuro com uma missão de assassinato aparece para acelerar o processo. Acho a sinopse meio vaga? Ótimo, quanto menos você souber do roteiro mais divertido fica. Basta saber que nessa "aventura", revemos personagens do primeiro filme, conhecemos novos mutantes, bons e maus, além de presenciar muitas reviravoltas e absurdos.

Ciente do hábito das sequencias cinematográficas ampliarem tudo que foi acerto no longa original para compensar a ausência da novidade, Deadpool 2 assume de cara, que pretende ser maior nas cenas de ação, na violência e principalmente na "zoeira".

Deadpool continua desbocado, abusado, bem humorado e careteiro, e claro, o centro das atenções. O foco acaba por custar um pouco o desenvolvimento dos personagens secundários, todos servem principalmente de escada para para Reynolds. O que deve funcionar bem com o grande público, mas deve irritar os fãs de quadrinhos que esperavam muito mais da complexidade de Cable nas telas. Ainda sim, as interpretação de Brolin está em perfeito equilíbrio com o protagonista, criando uma divertida relação de opostos. 

O universo é sim, ampliado por novos personagens, bem apresentados e utilizados dentro da proposta que lhes é imposta. Russel (Julian Dennison) é a pessoa frágil a ser protegida/resgatada com quem o protagonista cria uma relação. Domino (Zazie Beetz) é a desculpa para usar e abusar de sequencias de ação absurdas determinadas por sorte, Vanessa (Morena Baccarin) é sua bússola moral, e por aí vai.

Outras coisas que funcionaram bem no longa original, e estão de volta são as referências à cultura pop, a indústria do entretenimento e ao próprio filme - inclua nesta última, muita narração e quebra da quarta parede. Espalhadas por todo canto em tiradas rápidas, as alusões e piadinhas desafiam o público a estar sempre atento, em vários momentos soam demasiadamente gratuita, mas nem por isso menos divertidas.  

Ainda na lista de coisas resgatadas e ampliadas do primeiro filme estão as cenas de ação. Mais grandiosas, ainda mantém o humor negro, usando e abusando das habilidades dos personagens, especialmente da absurda sorte de Domino e das habilidades de cura de Wade. 

A trilha sonora segue o tom de unir dinamismo e bom humor, escolhendo músicas pontuais para as sequencias de ação, e abusando de clássicos melosos de musicais da Broadway para os momentos dramáticos. Estes aliais existem sim, e tem seu peso na trama e impacto nos personagens e público. A diferença aqui é que logo, são cortados por piadas, quase como aquelas pessoas que escondem o medo e a tristeza por baixo de humor, seja ele do tipo que for.   

O roteiro até surpreendente em alguns momentos, como a sequência relacionada à X-Force, mas por baixo é uma trama simples de redenção, Wade chega ao fundo do poço, perde a esperança, encontra um novo motivo para lutar e segue em frente. E certamente são os momentos cômicos que ficarão na memória do espectador. A sensação é de se trada de uma série de esquetes de humor, conectados por uma narrativa. Não se trata de uma falha da produção, é a proposta que eles escolhem e funciona. 

Deadpool 2 não tem mais o elemento surpresa, ou é uma novidade no sub-gênero dos super-heróis e sabe disso. Logo, assume sua "repetição" com bom humor, traz personagens novos e antigos para ajudar seu protagonista a manter o tom certo de comédia, e a espalha na tela como se usasse a metralhadora. A ação é constante, mas as piadas são interruptas, desde antes dos créditos iniciais - que você deve ler! - até as cenas pós créditos, provavelmente as melhores que você já viu.  O resultado é outra acertada, e ainda rara, adaptação de quadrinhos apenas para adultos na tela grande, divertido, desbocado, violento e com censura alta!

Deadpool 2
2018 - EUA - 120min
Comédia, Ação

Compartilhe este post
  • 0Blogger Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment
comments powered by Disqus
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top