segunda-feira, 5 de março de 2018

Oscar 2018

Todo mundo afinadinho, não teve erro gigante, nem pequenas gafes. Não fosse pela qualidade dos filmes e as boas discussões da cerimônia, o 90º Oscar seria até monótono. Hora dos humildes, e nada ortodoxos, palpites desta sonolenta blogueira que vos escreve.
Vale sempre lembrar: os palpites são observações aleatórias e descompromissadas de uma amante do cinema.
Após o excelente fiasco de 2017 (fala sério amamos a gafe), a Academia voltou a fita e trouxe Jimmy Kimmel de volta para uma nova chance de terminar uma cerimônia sem cara de perdido. O comediante/apresentador acertou no discurso oficial abordando os temas de inclusão que permearam toda a festa.

Além disso, quem mais pode contar com Helen Mirren para salvar sua piada? A rainha ficou até o final, com direito à mudança de figurino e gestual de garota propaganda. E aparentemente, Mark Bridges vencedor de melhor figurino por Trama Fantasma, realmente levou a moto aquática para casa, pelo discursos mais curto.

Continuando no tema discurso, eu fui a única que ficou chateada pelo personagem de Corra! não ter entrado para interromper nenhuma fala longa.

A cara de quem conseguiu um
assento melhor que o Luke Skywalker!
Será que a Meryl Streep e John Williams sentam sempre no mesmo assento nas cerimônias? Indicados  todo ano, eles já deviam ter ganho cadeira cativa, com com seu nome marcado.

Não demorou muito para encontrarmos o elenco de Pantera Negra bem na frente e no centro do auditório, mesmo o filme não estando concorrendo a nada. Tomara que ano que vem Wakanda leve algumas categorias.

O cenário comemorativo, todo trabalhado nos cristais, tinha projeções para o fundo que lembravam muito cenários de A Bela e a Fera (2017), da Disney.

Só eu achei que a Jeniffer Lawrence parecia uma giganta ao lado da Jodie Foster?

Falando de figurino masculino para variar, Cristopher Walken estava todo vovozinho com sua calça "centropeito".

Já Meryl Streep, dizem, estava fazendo cosplay de Fada Madrinha do Shrek. Sempre lançando tendências!

Adoro Blade Runner 2049, mas ainda não sei como o filme tirou o prêmio de efeitos especiais de Planeta dos Macacos - A Guerra. #Xooocada!

Aí, você escolhe ver o Oscar, perde metade de uma noite de sono para prestigiar a cerimônia e a Academia premia uma galera que preferiu assistir à um filme à sua festa! Isso fingindo que aquela platéia de Uma Dobra no Tempo não foi escolhida à dedo, e já desconfiava que algo aconteceria. Entretanto, ainda não decidi se gostaria de ter minha sessão de cinema interrompida mesmo sendo por estes famosos.

Gale Garcia Bernal agradece por existir auto-tune e a possibilidade de fazer várias tentativas de gravar as canções nos filmes, já que ao vivo não ficou muito bom. Segue a versão que ele cantou no em Viva - A Vida é uma Festa muito melhor do trecho que ele apresentou no palco.



Já a empoderada 'This Is Me' de O Rei do Show, melhorou alguns pontos só porque a Viola Davis curtiu muito! Eu sei que a galera amou a música, mas pessoalmente acho que a letra peca pela falta de sutileza. Fazer o quê? Com algumas pessoas você tem que ser direto!

De volta às premiações, uma dúvida: tinha alguma orientação para colocar a estatueta no chão na hora dos agradecimentos? Metade dos vitoriosos fez isso!

Fica aqui minha opinião quando ao 'mimimi' ressurgido nas redes assim que Sam Rockwell levou sua estatueta por Três Anúncios para um Crime. O personagem é machista sim, e o filme tem consciência disso. Parar de retratar estas pessoas que existem, é tentar mascarar situações reais com a desculpa de que é "pela causa". Tem que mostrar sim, para gerar discussão, para lembrar que estas pessoas existem e que não são punidas pela forma que agem, assim como no filme. Parabéns para Rockwell que conseguiu retratar esta figura de forma tão contundente.

Com tantas concorrentes boas à melhor atriz, ficou difícil não vibrar com Frances McDormand e seu discurso que dividia a premiação com todas as indicadas deste ano.

Ganhando o prêmio por A Forma da Água, Guillermo del Toro fechou a a sociedade latina das premiações. Dos últimos cinco diretores premiados, quatro são latinos. Só falta dar um pouquinho mais de crédito ao seu parceiro de sempre Doug Jones.

Pena que Em Ritmo de Fuga foi tão esnobado nas categorias ondem ele inovou.


Acima de tudo isso, A Forma da Água uma fantasia (que muita gente vê como ficção-cientifica), foi a grande ganhadora da noite. Seja qual for o gênero, já fico satisfeita por não ser um drama.

Entregaram tudo direitinho, ninguém escorregou e nenhuma fala louca aconteceu.Um Oscar tedioso para quem curte uma fofoca, mas memorável para quem está atento ao cenário atual. Engajado e cheio de mudanças, o 90º Oscars foi uma boa surpresa!

Termino este post com gifs de famosos socializando nos intervalos, porque sim!


Leia mais sobre Oscar!

P.S.: estou melhorando meus pitacos a cada ano, um dia eu ganho o bolão.
Compartilhe este post
  • 0Blogger Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment
comments powered by Disqus
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top