sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Informações úteis para sua maratona de Anne with an "E"

Este manual vem para me redimir, e buscar a redenção de outros, que como eu podem ter deixado Anne with an "E" passar batido na lista de sugestões da Netflix. Não se deixe enganar pelo ar infantil e inocente, a série vale sim uma maratona.

Baseado no romance Anne of Green Gables, de 1908 da canadense L. M. Montgomery, a série narra as aventuras da órfã otimista Anne Shirley. A menina ruiva e tagarela é adotada por engando pelos irmãos em idade avançada Marilla e Mathew Cuthbert que queriam um menino para ajudar nos afazeres da fazenda. Começa aí a luta da garota para convencer o casal a ficar com ela, encontrar seu lugar na comunidade de Avonlea e quem sabe superar os traumas de uma infância difícil.

Informações úteis para sua maratona de Anne with an "E"


1 - O título original da série é Anne. A produção é na verdade canadense do canal CBC e ganhou nome novo quando a Netflix adquiriu os direitos de exibição mundial.

2 - Anne with an "E", título que a Netflix adotou é a forma como a personagem se apresenta e pede para ser chamada com um "E" bem sonoro no final de seu nome

3 - No Brasil o livro de L. M. Montgomery já foi publicado algumas vezes com dois títulos diferentes: Anne Shirley e Anne de Green Gables. A edição mais recente é da Editora Pedra Azul que também publicou Anne de Avonlea.

4 - Montgomery escreveu continuações da obra. Anne protagoniza seis livros, ao todo. Aparece em outros 3 e é citada em mais dois. Sua vida é retratada dos 11 aos 75 anos! Não falta material para a Netflix, né?

5 - E por falar em idade na série Anne é 2 anos mais velha que nos livros. A história já começa quando ela tem 13 anos.

6 - À primeira vista Anne parece mais irritantemente otimista que Kimmy Schmidt, também protagonista ruiva de uma série do serviço de streaming. Bom, ela é tão otimista quanto, mas diferente de Kimmy cuja personalidade só serve para o humor, a visão de mundo de Anne é o jeito que ela encontrou de enxergar um caminho melhor na vida sofrida que tinha.

7 - Sim, ela é dramática. Muito dramática, podia ser protagonista de novela mexicana! Mas com o tempo você se acostuma e até começa a gostar, o exagero é proposital para mostrar não apenas como ela é diferente, mas como traz energia e vida para aquela comunidade de "atuação contida". Mas tudo bem se você se descobrir fazendo caretas como os moradores de Avonela quando ela desandar a falar, você não é má pessoa por isso.

8 - O título de cada episódio é uma citação do romance de 1847, Jane Eyre, escrito por Charlotte Brontë. Que com certeza Anne leu, e onde deve ter aprendido passagens românticas e palavras grandes!

9 - É normal ficar perdido sobre onde a história se passa. Para quem nuca ouvira falar do livro pode demorar um pouco para entender de fato onde está situada a trama, já que os nomes dos lugares não são tão familiares para nós aqui no Brasil. Esclareço: a história se passa quase toda na Ilha do Príncipe Eduardo a menor província do Canadá. Por isso, os hábitos britânicos que podem confundir alguns. Boa parte da série foi realmente filmada na ilha.

10 - Preste atenção na evolução dos irmãos Marilla e Mathew Cuthbert. A dupla de atores vai deixando transparecer aos poucos a fragilidade dos personagens e que talvez eles precisem de Anne mais do que ela precisa deles.

11 - A história se passa no final do século XIX, mas os temas não poderiam ser mais atuais: adoção, igualdade de gênero, homossexualidade, auto-estima, bullying, entre outros estão no pacote.

12 - E por falar em bullying tente não passar muito tempo pensando o quanto doí levar uma lousa na cara. Apesar do caso em questão não ter sido na verdade uma situação de bullying, estava mais para hormônios confusos e descoberta dos sentimentos mesmo.

13 - Aliás, usar pequenos quadros de giz ao invés de cadernos e colocar o leite no riacho para ficar fresco até a hora do recreio são algumas das diferenças curiosas e divertidas que você vai adorar descobrir.

14 - Rapazes, só para esclarecer Anne em sua primeira TPM representa todas nós! Assim como o seu primeiro porre.

15 - Após alguns episódios o formato de criação e solução de problemas fica um pouco repetitivo e fácil de deduzir, principalmente se você usa aqueles cinco segundos entre um episódio e outro para ler a sinopse - não leia!. Mas não tem problema, já que à essa altura você já está completamente apegado aos personagens.

16 - Admire a abertura ela foi criada a partir de 8 pinturas à óleo feitas sob encomenda por Brad Kunkle, que depois foram animadas. As imagens abrangem as quatro estações do ano e escondem muitos detalhes, pistas e características da protagonista da série. Mais detalhes da abertura aqui!



17 - Pode ficar chateado, a série termina mesmo com um enervante gancho. Mas não fique bravo por muito tempo, a próxima temporada já está confirmada e terá 10 episódios!
__________________
Aquela deprê pós-maratona!

Disfarçado de mais uma história de órfã otimista, Anne with an "E" é na verdade uma obra cheia de conteúdo e questões a serem discutidas. Tem uma produção impecável que recria a época de forma verossímil e encantadora. E apesar de ter assuntos mais complexos pode e deve ser visto por toda a família de preferência em maratona, então, já fica a dica!

Confira a crítica de Anne with an "E" e outras listas de Dicas para suas maratonas
Compartilhe este post
  • 0Blogger Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment
comments powered by Disqus
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top