quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Livro vs Filme: Assassinato no Expresso do Oriente

Hercule Poirot está de volta aos cinemas com uma nova versão de Assassinato no Expresso do Oriente. E como toda adaptação literária para as telas, essa tem sim suas alterações necessárias para funcionar na tela grande. É hora de apontar as mudanças feitas no clássico de Agatha Christie e tentar entender porque foram necessárias.

O ministério dos "spoilerfóbicos" informa: este post contém SPOILERS do livro e do filme!


1 - Uma introdução para Hercule Poirot
Agatha Christie é muito popular, mesmo assim, é provável que  muita gente nunca tenha ouvido falar do melhor detetive do mundo Hercule Poirot. Logo, não é surpresa que o filme ache necessário apresentar o personagem para o grande público. Por isso, começamos nossa jornada no Expresso do Oriente começa durante a resolução de outro caso, que mostra as principais características do protagonista, como a necessidade de simetria, perfeccionismo, e o pensamento analítico. Enquanto no livro, encontramos Poirot já a espera do próximo trem.

2 - Coronel que virou Doutor
No livro o personagem de sobrenome Arbuthnot, é um coronel. No filme ele ganhou o título de Doutor, cumprindo também o papel do  Dr. Constantine , médico que ajuda a analisar o corpo na versão original. Além de médico, no filme, o personagem é negro, vivido por  Leslie Odom Jr.. Acrescentando uma discussão de preconceito à narrativa.

3 - Mudando de Nacionalidade
No livro a personagem de Penélope Cruz é de origem sueca e tem o nome de Greta Ohlsson. No filme ela ganhou novo nome, Pilar Estravados para se adaptar melhor a sua ilustre intérprete. Esse nome foi tirado de outro romance de Agatha Christie, O Natal de Poirot de 1938.

4 - Um Poirot mais ativo
Nos livros Hercule Poirot acredita que é possível resolver um crime "apenas sentado na sua poltrona", o máximo de ação que ele faz nas páginas é visitar a cena do crime. O filme inclui algumas cenas de ação para melhorar o ritmo, e tornar mais palpável para o grande público..

5 - Protetor de Bigode
No livro não há menções sobre Hercule Poirot usar um protetor de bigode para dormir. Este "mimo" pertence apenas ao filme, e é hilário!

6 - Saindo do trem
O livro se passa quase que inteiramente no trem. Depois de embarcar a história se mantém nos vagões, especialmente após a parada causada pela neve. O filme utiliza também a área coberta de neve ao redor da locomotiva, e a estrutura da ponte em que o filme fica parcialmente parado, um túnel e até a cozinha do trem.

7 - Pequenos detalhes
Alguns detalhes do caso e da investigação são diferentes, para dar mais fluidez ao filme. Mas nada que altere muito o desenrolar do caso.

Lá vem um spoiler grande! Continue por sua conta e risco...

8 - Comparações e referências
O filme deixa de lado a comparação do 12 membros de um juri com o número de culpados. Para quem contou, o filme traz 13 culpados, lindamente emoldurados em uma referência a Última Ceia de DaVinci, mas nos livros 12 pessoas esfaquearam Casseti. A Condessa Andrenyi (Lucy Boynton no filme), tem saúde mental frágil e não participa diretamente da vingança.
Contou 14? Deixe de fora o proprietário do Expresso Oriente!
_______________________

As diferenças entre livro e filme são poucas, e necessárias para adaptar a narrativa ao gosto dos expectadores do século XXI. Nada que corrompa a história, ou enfureça fãs sensatos.

Compartilhe este post
  • 0Blogger Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment
comments powered by Disqus
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top