Entendendo (ou não) a viagem no tempo em Vingadores: Ultimato - Ah! E por falar nisso...

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Entendendo (ou não) a viagem no tempo em Vingadores: Ultimato

Algumas semanas depois, e Vingadores: Ultimato continua nas rodas de conversa da galera. Se antes eram as expectativas e as reações ao filme, agora o pessoal começa a tentar entender os detalhes e especular sobre o futuro. É nesse ponto em que as coisas complicam, já que como todo bom filme com viagem no tempo, a aventura deixa muitas dúvidas e situações ambíguas.

A Marvel resolveu lavar as mãos e apenas dizer, "física quântica é complicado!". Mas nós somos nerds e adoramos as complicações, logo cada um pode criar a sua explicação. Eis a minha:

Vale lembrar, este post tem SPOILERS de Vingadores: Ultimato, continue por sua conta e risco.


Em meu reles conhecimento de viagem no tempo na ficção, existem três versões principais para suas consequências:

1 - Suas ações no passado alteram o futuro, como na trilogia De volta para o futuro. Em uma versão mais extrema, sua simples presença no tempo errado, mesmo sem realizar ação nenhuma, já o modificaria.

2 - Suas ações no passado não alteram seu futuro, mas criam uma linha do tempo paralela a partir destas mudanças, como no recente Star Trek

3 - O passado é imutável. Não importa quantas alterações você faça, o universo vai se ajustar para que os resultados sejam os mesmos, como em A Maquina do Tempo. Ou ainda, seu retorno no tempo sempre fez parte da história como em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.

Mas, em Vingadores: Ultimato, Bruce Banner e Nebulosa (Karen Gillan, com toda sua propriedade de companion do Doctor Who) dizem que física quântica é complicado, e desmentem os muitos exemplos de filmes que seus colegas oferecem como referência. Mas se não funciona como em determinado filme ou outro, como a viagem no tempo funciona no MCU? Minha teoria: funciona como em todos eles!

A tal complicação difícil de explicar da física quântica, se daria pela impossibilidade de prever qual daquelas três possibilidades de consequências resultaria da experiência. Todas as possibilidades são possíveis e plausíveis, explicando assim as incoerências apresentadas na produção, que também podem ser vistas apenas como falhas de roteiro, mas continuemos.

Loki
Assim, quando Loki rouba o tesseract é criada uma nova linha do tempo que diverge da que conhecemos a partir dos eventos do Vingadores de 2012. Uma versão da realidade onde o Loki não foi preso em Asgard e vive "altas aventuras", que podem ser convenientemente abordadas em sua já anunciada série no Disney+. Há ainda a possibilidade do resultado destas aventuras conduzirem o Deus da Trapaça para a prisão, restaurando a linha do tempo e situando o personagem na prisão à tempo para viver as aventuras de Thor: Mundo Sombrio.

Nebulosa, Thanos e Gamora

Thanos salta de 2014 para 2023. Durante o clímax duas Nébulosas entram em um embate, e a versão do futuro elimina a versão nove anos mais jovem. Se fosse utilizada a lógica De volta para o futuro, a versão de 2023 da personagem desapareceria, quando sua versão passada morre. Mas, como isso não acontece, podemos presumir que a jornada diferente das duas criou uma nova linha do tempo. O mesmo vale para Gamora, Thanos e seu exército. O 2014 que este pessoal abandonou vai se desenvolver sem o titã roxo sempre a espreita em busca das joias. Os Guardiões talvez nunca se reúnam ou se tornem algo diferente sem a presença de Gamora, e por aí vai...

Capitão América

É o Capitão América quem complica tudo. Ao escolher ficar no passado e viver sua vida ao lado de Peggy Carter, teoricamente criaria uma nova realidade, e por isso não poderia mais tarde aparecer na linha do tempo principal e entregar o escudo para Sam Wilson.

Os irmãos Russo, diretores do filme, afirmaram em entrevistas que o Capitão já idoso fez um novo salto para encontrar o Falcão. O que é realmente possível, ao invés de usar o dispositivo de viagem no tempo imediatamente após devolver as jóias e o Mjölnir, ele esperou algumas décadas. Mas então, ele deveria aparecer lá na plataforma onde era esperado, assim como ocorreu na primeira missão de viagem no tempo, e assustar a todos com sua idade avançada. Uma cena muito mais cômica que a poética despedida no lago.
Essa plataforma aí ó! Ponto de partida e chegada para todos que usaram a tecnologia Pym-Avengers de viagem no tempo!

Pois eu tenho uma explicação mais legal para o caso de Rogers (que foi confirmarda pelos roteiristas, em desacordo com os diretores depois que escrevi esse texto), é a versão de Harry Potter, um paradoxo. Em O Prisioneiro de Azkaban, duas versões Hermione e Harry estão presentes em um certo momento do filme. E a versão do futuro, chega à conduzir a versão do passado para que estes percorram o caminho correto, para se tornarem a versão futura. Confuso, né? Basta lembrar que Hermione percebe que sempre estivera ali, e que fora ela que atirara a pedra para que o trio deixasse a casa de Hagrid.

De volta ao Capitão, talvez seu retorno e vida com a agente Carter sempre tenha acontecido. Tudo que sabemos sobre o marido de Peggy - corrijam-me se eu estiver enganada - é que ele lutou na 2ª Guerra Mundial. Este poderia muito bem ser Steve. Ok, eu sei! Marvel's Agent Carter dá a entender que a moça casará com seu colega de trabalho Daniel Souza, mas como a série foi encerrada antes do matrimonio acontecer, nada foi confirmado.

Na minha teoria, a permanência do Capitão no passado não interferiu no continuo, pois sempre houveram dois Capitães América na linha do tempo principal. O aposentado vivendo a vida, e aquele que foi descongelado em 2011. Sua versão mais velha observou nas sombras, seu eu mais novo acordar e passar por tudo o que ele passou antes de ter seu final feliz com a mulher que ama.

Então ficamos assim:

3 - As ações do Capitão América resultaram em um paradoxo temporal, que tornaram o futuro imutável.

Thanos estragando o cubo.
Será que os Vingadores abriram com jeitinho?
2 - A fuga de Loki criou uma nova linha do tempo. As mortes de Nebulosa, Thanos e a permanência de Gamora em 2023, criou outra. E talvez tenhamos outras duas, já que as duas das jóias foram entregues em formatos diferentes daqueles em que foram retiradas. A da mente estava dentro da joia azul no cetro de Loki, e do espaço no cubo cósmico conhecido por tesseract.

1 - E estes dois resultados eliminam a possibilidade de estragos na linha do tempo principal. Ufa!

O destino de Rogers combina bastante com a explicação que Banner dá no início do filme: "Se você viajar de volta no tempo, o futuro se tornará seu passado e, portanto, não poderá ser mudado". Já as linhas do tempo alternativas de Loki, Nebulosa e cia, encaixam na explicação da anciã. Esta que até na forma como foi exibida com uma única linha do tempo criando uma ramificação quando algo é modificado, lembra muito a explicação do Dr. Borwn em De volta para o futuro - parte II. Lógica que Bruce desacreditara com direito à piadinhas momentos antes.

Reparou o que o filme fez aqui? Os criadores sabem que viagem no tempo é difícil de explicar. Sempre vai haver dúvida e furos. E principalmente, o grande público talvez não esteja tão preocupado com isso. Para aqueles que estão atentos, duas explicações e muitas possibilidades. Assim, podemos escolher a versão que quisermos, ou no mínimo ficar confusos ao ponto de desistirmos de especular e apenas aproveitarmos a aventura. No final das contas a "bagunça" proposital funciona em prol do filme, e isso é o que importa.


E se você estiver achando que a confusão é pouca. Aparentemente, Homem-Aranha: Longe de Casa vai confirmar a existência de um multiverso, as tais realidades ou linhas do tempo paralelas. Agora é esperar a estreia para especular um pouco mais.

E aí concorda comigo? Discorda completamente? Tem uma teoria melhor, mais louca, ou tudo isso junto?

Nenhum comentário:

Post Top Ad