quarta-feira, 11 de julho de 2018

Anne with an "E" - 2ª temporada

Ainda sem receber a atenção que merece Anne, with an "E" da Netflix,  ganhou uma segunda temporada caprichada. A série voltou maior, mais confiante e em constante amadurecimento, assim como sua protagonista.

Em seu primeiro ano em Avonlea, a órfã Anne (Amybeth McNulty), lutou para conquistar seu lugar nesta comunidade de pessoas simples. Tarefa bastante complicada para alguém com personalidade tão singular e passado difícil, na qual a moça tem se saído relativamente bem. Sua jornada de amadurecimento continua exatamente de onde parou, quando hospedes suspeitos chegam à fazenda.

Mantendo seu formato episódico, mas que cultiva os desafios futuros desde cedo, a série denvolve alguns arcos a que deu início no ano anterior. A ameaça dos forasteiros, a educação rígida de Diana (Dalila Bela), o analfabetismo de Jerry (Aymeric Jett Montaz), o interesse amoroso de Mathew (R.H. Thomson) e o relacionamento do antipático professor Mr. Philiiphs(Stephen Tracey) com seus alunos, estão entre os problemas plantados ainda na primeira temporada, que são desenvolvidos ou mesmo resolvidos nos novos episódios. Mas é a busca de Gilbert Blythe (Lucas Jade Zumann) por um objetivo na vida após a morte do pai, e no desenvolvimento de Anne que estão os arcos mais longos desta temporada.

Forçado a amadurecer rápido, Gilbert sai pelo mundo para descobrir o que deseja fazer da vida. Nesta viagem encontra Bash (Gilbert), um negro de Trinidad com quem cria laços de amizade. A dupla volta para Avonlea desfiando os conceitos da pequena comunidade, ao mesmo tempo que expande o universo da série.

Enquanto isso, os cidadãos de Avonlea já descobriram as vantagens das características peculiares de Anne, e a adotaram como membro de sua sociedade. Mas na escola as coisas não são tão simples, já que sem os pudores impostos pela maturidade, crianças podem ser cruéis. A garota é alvo de bullying, por ser órfã, por não ter muito dinheiro e principalmente por sua aparência. Sardas, cabelo alaranjado, e corpo esguio são consideradas características nada atraentes. Some-se a isso, a curiosidade e hormônios em ebulição típicos da idade, Anne tem 14 anos, e encontramos um prato cheio para os dramas e dilemas de nossa melodramática heroína.

Mas não pense que a menina é toda romance e futilidade. Há uma complexa batalha em busca de auto-estima e aceitação sendo travada pela jovem. Ao mesmo tempo, intrometida como é, ela ainda está disposta a se envolver nas dificuldades daqueles que a cerca. É aqui que a série encontra espaço para falar de outros temas, e eles são muitos.


Descoberta da sexualidade, homossexualidade, a necessidade de manter uma vida em segredo diante dos padrões da sociedade, matrimonio, liberação feminina, racismo, traumas de infância e aceitação da idade avançada, estão entre os vários temas abordados de uma forma ou outra durante os episódios. Mathew e Marilla (Geraldine James) ganham uma atenção especial do roteiro, que começa a mostrar seu passado, e esclarecer porque os irmãos nunca constituíram famílias próprias. A dupla continua a cativar o público ao acertar no equilíbrio entre força e fragilidade de seus castigados personagens, que não imaginavam ter sua rotina alterada - no bom sentido - a esta altura da vida.

O restante do elenco também não fica atrás, mesmo sendo tão jovem. Encabeçados pela eloquente e dinâmica McNulty, o elenco mirim surpreende pela sinceridade com que abraçam seus papéis. Além da protagonista os destaques ficam com Dalila Bela, Lucas Jade Zumann e Cory Gruter-Andrew.

A qualidade técnica apresentada no primeiro ano está de volta. Reconstrução de época impecável e fotografia bem trabalhada, estão entre as características marcantes da série. Um roteiro inteligente, que trata temas complicados e atuais, com doçura e sem descaracterizar o período histórico em que a história se passa, também está entre os méritos do programa.

Com mais episódios, a segunda temporada, reforça os acertos do primeiro ano e avança a história baseada nos livros de L. M. Montgomery. É uma série sobre amadurecimento, que aborda várias questões de forma doce e determinada. Provando que não se trata de apenas uma obra fofa sobre uma órfã que supera as dificuldades, Anne with an "E", está mais confiante em suas peculiaridades, e não ter vergonha de ser diferente, assim como sua valente protagonista.

A segunda temporada de Anne with an "E", tem 10 episódios com cerca de uma hora cada. Os dois primeiros anos estão disponíveis na Netflix.

Leia também a crítica da primeira temporada de Anne with an "E", ou confira nossas dicas para fazer uma maratona da série.
Compartilhe este post
  • 0Blogger Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment
comments powered by Disqus
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top