quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Annabelle 2 - A Criação do Mal

Inspirada em uma boneca real, Annabelle foi apresentada ao público em 2013 no primeiro e excelente Invocação do Mal. O caso real do brinquedo amaldiçoado serviu como introdução para o casal de demonólogos que protagoniza a franquia. No ano seguinte ela ganhou seu primeiro filme solo. Eficiente porém não tão brilhante, a produção abusava dos clichês do gênero, mas assustou a audiência o suficiente para garantir uma segunda incursão nas telas. E que surpresa, Annabelle 2 - A Criação do Mal é melhor que seu antecessor.

O primeiro longa volta no tempo para as "aventuras" de sua personagem título antes de ser detida pelos Warren. Este novo filme repete a cronologia invertida e retrocede ainda mais, até a época em que a boneca artesanal foi construída. O casal Mullins (Anthony LaPaglia e Miranda Otto), fabrica brinquedos, e sofrem uma grande perda na família. Anos mais tarde, transformam sua casa em abrigo para um grupo de órfãs desalojadas. Não demora muito, para as meninas "explorarem" a residência e coisas estranhas começarem a acontecer.

Mais parecido com os longas Invocação do Mal do que com o Annabelle original, o filme não escapa de usar os clichês do gênero. Apesar dos sustos fáceis estarem de volta, a produção é mais eficiente na construção de um clima de medo constante. Isso porque, mesmo uma coisa que fica no "lugar comum" pode funcionar se bem feita. E o diretor David F. Sandberg (Quando as Luzes se Apagam) sabe como construir a tensão mesmo em torno de um acontecimento esperado. Para isso,  tira um certo tempo para apresentar o contexto. O que deve desagradar aqueles que entram no cinema esperando susto logo nos primeiros quinze minutos de filme.

Apesar desta preocupação em apresentar os personagens e universo, o roteiro não é dos mais complexos ou profundos. Se você assistiu alguns filmes de terror na vida, vai deduzir muita coisa que está por vir. Alguém vai fazer o que não deve, eventos estranhos passarão despercebidos por muitos dos personagens, outros insistirão em vagar pelo escuro sozinhos, a música eventualmente vai subir e... Bú! Normalmente, esta obviedade me entediaria ou irritaria, mas os acertos compensam o "mais do mesmo" e mantém o interesse no filme.

O primeiro deles é a escolha das talentosas atrizes mirins que vão levar o expectador através da trama, e a apresentação de suas personagens. Não é difícil acreditar na amizade de Janice (Talitha Bateman) e Linda (Lulu Wilson), a partir daí é impossível não se preocupar com seus destinos. Linda inclusive, é surpreendentemente corajosa e até esperta para um personagem do gênero. 

Já o elenco adulto não surpreende, mas Anthony LaPaglia e Stephanie Sigman conseguem acertar o tom do chefe de família endurecido pelo trauma e da tutora preocupada das crianças, respectivamente. Já Miranda Otto é subaproveitada. Envolta em mistério no início da história a Sra. Mullins poderia ter um desfecho interessante, ou melhor trabalhado. Ao menos, sua resolução é graficamente assustadora.

E por falar em "graficamente assustador", a direção de arte acerta ao desenvolver o ambiente da casa. A residência, sem vida quando as meninas chegam, aos poucos escurece e se torna um ambiente opressor conforme o terror se intensifica. Também há pistas e detalhes nos objetos e paredes. Desde óbvias fotografias, até crucifixos escondidos no design da casa.

Também fico satisfeita em dizer que eles continuam resistindo a tentação de fazer a Annabelle se mover em cena - ela não é o Chuck!. Usando outros artifícios, que incluem efeitos práticos e digitais, para "perseguir" as vítimas. Ou usando a sugestão do que não a vemos fazer para nos assombrar.

Entre as já esperadas incapacidades dos personagens em seguir regras, encontrar interruptores, ou simplesmente correr na direção oposta, Annabelle 2 - A Criação do Mal, consegue criar bons momentos de tensão. Aqueles em que não estamos apenas esperando o próximo susto, mas realmente com medo do que está por vir. Não é o melhor do universo de terror produzido por James Wan, mas é eficiente e torna sua personagem título icônica o suficiente para continuar aterrorizando imaginário popular por mais algum tempo.

Annabelle 2 - A Criação do Mal (Annabelle: Creation)
2017 - EUA - 110min
Terror


P.S.: Existe uma cena pós-créditos.

Leia as crítica do primeiro Annabelle, e de Invocação do MalInvocação do Mal 2.
Compartilhe este post
  • 0Blogger Comment
  • Facebook Comment
  • Disqus Comment
comments powered by Disqus
 
Copyright © 2014 Ah! E por falar nisso... • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top